segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Sala de aula: A comunicação oral

Sala de aula: A comunicação oral
Relato de prática com a minha turma de primeiro ano (2012) desenvolvido para o curso A criança de 6 anos no Ensino Fundamental

A oralidade é uma prática que é aprendida no cotidiano da criança de maneira informal, não-institucional. Porém não é por este motivo que a escola não deve abordar a linguagem oral: o papel da escola não é ensinar o aluno a falar, mas é ensiná-lo a falar bem. Ou seja, o educando deve aprender a expressar oralmente ideias ou informações a fim de que sejam entendidas pelos ouvintes e saber adequar suas falas aos contextos vividos - identificar as diferentes situações de oralidade e portar-se diante delas de maneira correta. Cabe à escola, segundo Schneuwly, "levar os alunos das formas de produção oral cotidianas, imediatas, autoreguladas, a outras, mais institucionais, mediatas, parcialmente reguladas pelo exterior." (p.28, 2002)


Alguns de nossos momentos de comunicação oral

São diversas as práticas sociais que envolvem a oralidade e que sempre procurei estimular durante as aulas: permitia que os alunos exprimissem suas ideias, tirassem suas dúvidas, trocassem informações, organizava rodas de cantigas, entre outras. Além dessas práticas, procurei trabalhar com algumas das chamadas institucionalizadas, como discussões em grupo, rodas de conversa (sendo essa uma atividade permanente e, geralmente, com um tema delimitado por mim), apresentações de trabalhos e exposições de hipóteses para os colegas.

Graças a esse trabalho, as crianças passaram a prestar atenção aos temas propostos nas atividades de oralidade, bem como às falas dos colegas - desenvolvendo assim uma postura de ouvintes -, e se comunicavam de forma mais organizada, se atentando sempre ao tempo cronológico dos relatos que expunham, bem como os detalhes.

+ Para saber mais
SCHNEUWLY, B. et. al. "Oral" se ensina: elementos para uma didática da produção oral. In: Apostila Oralidade: leitura em voz alta, para que serve? São Paulo: Centro de Estudos da Escola da Vila, 2002.

4 comentários :

  1. Ola,adorei o post,tem post novo no blog,espero vcs no sorteio de 1Kit Lançamento Avon e aproveitar as promoções de loja Bella Makes.bjs
    http://luana-make.blogspot.com.br/
    www.bellamakes.com.br

    ResponderExcluir
  2. Bem bacana o seu post.
    Eu sempre tive dificuldade em me expressar oralmente para plateias maiores.
    Fiz 2 cursos de oratória e faço teatro, mas ainda é muito difícil p/ mim.
    Fico imaginando como deve ser duro para os pequenos mais tímidos... mas a capacidade de expressar oralmente é um pouco de dom, tem gente que sem muito esforço já é bem articulado, desde pequenino :)
    Bjuxxxxx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre tive dificuldades quanto a isso também e talvez seria diferente caso minhas professoras tivessem me estimulado! =/
      Quanto aos tímidos, não costumo forçá-los a falar... Nesses momentos deixo falar apenas quem tem vontade mesmo!

      Excluir
  3. Bem legal a sua postagem, me fez lembrar em uma reunião do meu filho a professora falar sobre este assunto abordado, mas ela nomeava a hora da rodinha já que ainda é Jardim a turminha. Bem legal. Parabéns pelo blog ^^ seguindo e amando

    ¦ Blog Dany's Place

    ¦ Tutorial e Dicas

    ResponderExcluir

E aí, o que achou? Deixe seu comentário aqui! =)

Lembre-se de ter bom senso e comentar sobre o assunto post. Sinta-se livre para fazer qualquer tipo de crítica, desde que seja a respeito do assunto ou opinião abordada, e não ataques pessoais àqueles envolvidos (como eu, outras pessoas que comentaram, ou outras pessoas que citei no decorrer do texto).

Costumo retribuir a todos os comentários, desde que tenham alguma coerência. Me desculpem, mas aqueles que se resumem somente a "Seu blog é lindo! Visita o meu?", terão sua retribuição no mesmo nível!

...

Copyright 2002-2015 - Fernanda Fusco - Todos os direitos reservados

Cópia total ou parcial proibida !

Related Posts with Thumbnails